Checklist para melhorar o empoderamento dos empregados na sua organização

Empoderamento, ou empowerment, é muito mais que delegação, é uma forma genuína de criar uma força criativa na sua organização. O desafio para o empoderamento é aproveitar as habilidades não usadas pelos empregados e oferecer a oportunidade para que eles assumam responsabilidades para uma positiva contribuição.

Conseguimos o empoderamento estimulando o empregado a encontrar melhores formas para fazer o seu trabalho, permitindo assumir responsabilidades no relacionamento com os clientes, deixando que eles tomem decisões que acreditam que possam melhorar a experiência dos clientes, reduzindo a burocracia e incentivando-os a colaborar nos projetos estratégicos da organização.

As vantagens são inúmeras, tais como:

  • Engajamento e motivação para que os empregados assumam a responsabilidade pelos problemas e busquem suas próprias soluções para resolve-los;
  • Gerar novas ideias para melhoria dos serviços;
  • Despertar habilidades nos empregados que estão reprimidas pela rotina do trabalho;
  • Reduzir a quantidade de gerentes de linha que supervisionam os empregados; M
  • Melhoria da qualidade dos serviços aos clientes; e,
  • Melhoria do clima organizacional.

Para implantar um programa de melhoria do empoderamento temos que tomar cuidado com as seguintes situações:

  • Gerenciar o sentimento dos gerentes que sentirão a redução do seu papel na organização;
  • Maior ansiedade dos empregados na busca do empoderamento;
  • Mais tempo gasto na busca de inovação prejudicando as tarefas de rotina, sob o risco de perder o controle e qualidade;
  • Sentimento que assumindo mais responsabilidade não trará compensação financeira;
  • Quebra da estrutura organizacional, gerando conflitos e falta de controle.

Checklist para um programa de empoderamento:

  • Avalie suas próprias convicções e atitudes para verificar se você pode conduzir um programa de empoderamento na sua organização;
  • Reconheça as barreiras para o empoderamento: maioria dos empregados com comportamentos passivos; impactos na moral e atitudes dos gerentes; e, rígidas rotinas que possam desestimular os empregados a assumir responsabilidades;
  • Reconheça a necessidade de transformar a cultura da sua organização, sendo flexível para definir novas funções, novos procedimentos e alterações nos cargos e salários;
  • Defina limites claros dos níveis de responsabilidade e autonomia que os empregados podem assumir;
  • Antes de implantar o programa, compartilhe as ideias com os empregados e avalie suas reações;
  • Deixe um canal de comunicação aberto para que os empregados apresentem suas sugestões e compartilhem suas ansiedades;
  • Avalie o que seus empregados estão realmente fazendo versus as descrições de funções de cada cargo;
  • Faça uma auditoria nas competências dos empregados para verificar se existem habilidade que não estão sendo utilizadas na organização;
  • Assegure-se que seu staff tem recursos suficientes para assumir responsabilidade no relacionamento com os clientes e aptos a melhorar os processos de negócios;
  • Negocie novos objetivos e formas de avaliação de desempenho baseadas na contribuição do empregado;
  • Lance o programa e encoraje os empregados a se engajarem no programa;
  • Monitore os resultados.

Lembre-se que um programa de empoderamento não é uma ação isolada, ele terá reflexos no clima organizacional, na cultura da organização e nas relações entre a alta direção, gerentes e empregados. Se bem conduzido e aceito pelos empregados o resultado será a melhoria exponencial da produtividade, clima organizacional, satisfação dos clientes, retenção de talentos, crescimento e lucratividade.